OpiniãoTemas Magazine

Meu pai, meu norte, minha sorte

Meu pai, meu norte, minha sorte

Quando o mundo foi difícil, estiveste lá para mim.

Quando chorei de tristeza, estiveste lá para mim.

Quando tive dias chatos de menina birrenta, estiveste lá para mim.

Quando fui crítica e desbocada, estiveste lá para mim.

Quando quis desistir, estiveste lá para mim.

Quando fui egoísta por não saber melhor, estiveste lá para mim.

Quando fraquejei, estiveste lá para mim.

Quando fui imprudente e impulsiva, estiveste lá para mim.

Quando fui insegura, estiveste lá para mim.

Quando fui pessimista, negativa, estiveste lá para mim.

Hoje a minha bondade tem nome, tem o seu nome. Hoje a minha confiança tem nome, tem o seu nome. Hoje o meu altruísmo tem nome, tem o seu nome. Hoje a minha força tem nome, tem o seu nome. Hoje a minha segurança tem nome, tem o seu nome.

Hoje e sempre, és o meu norte. A minha sorte.

Ao meu Pai Joaquim Moreira e à minha Mãe Inácia Reis.

Next article Tribunal Europeu nega violação de direitos humanos a homem que queria defender-se e foi impedido
Previous article Vícios

Related posts

0 Comments

No Comments Yet!

You can be first to comment this post!

Leave a Comment

Your data will be safe! Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *